quinta-feira, 6 de outubro de 2011

História de um Navio

Umanak, era um navio de 2319 toneladas e 89 metros de comprimento que foi construido na Dinamarca, e que inicialmente iria navegar nos mares da Gronelândia

A 15 de Outubro de 1970, este navio foi adquirido pela organização evangelica Operação Mobilização que o rebatizou com o nome de Logos que em grego significa Palavra.

Depois de algumas modificações a nivel estrutural, este navio foi transformado na primeira livraria flutuante do mundo. Após ter efectuado muitas viagens pelo mundo espalhando um mensagem de fé e amor, em Outubro de 1980, enquanto navegava nos mares do sul da China, a tripulação do Logos avistou um pequeno bote que transportava refugiados do Vietname, os quais foram recolhidos.

Uns dias depois foi avistado um segundo bote com mais refugiados em condições igualmente muitos frageis que também foram recolhidos, o que siginficou 90 pessoas a mais num navio que na altura tinha apenas capacidade para 140, mas estes seres humanos não foram deixados sem que houvesse um país de acolhimento

Depois de largos anos a espalhar uma mensagem de esperança , e quando nada o fazia prever, o inesperado aconteceu quando na noite de 4 para 5 de Janeirio de 1988, ás 23.56, enquanto navegava no estreito de magalhães, a sul da Argentina, aquele navio que outrora tinha contribuido para ajudar a salvar vidas, era sacudido por uma violenta tempestade na região onde navegava, que levou a que o navio fosse embater num rochedo oculto no Canal Beagle.

Independentemente do dever de entre ajuda entre o seres humanos, mais uma vez também se impunha a prática da solidariedade, e a coordenação entre a tripulação e a marinha chilena, foi fundamental no socorro ao navio sinistrado por forma a que a tripulação não sofresse danos ou perda de vidas

Desta forma, pelas 05.10 da madrugada de 5 de Janeiro, apesar da perda dos pertences da tripulação e do próprio navio, o mais importante é que foram salvas as vidas de todos os elementos que somavam 196 entre homens, mulheres e crianças

Sem comentários:

Enviar um comentário

Realidade da Politica Portuguesa