domingo, 30 de dezembro de 2018

28 de Dezembro no Restaurante Alameda Sines

OS PESSIMISTAS E NEGATIVISTAS DIZEM QUE ATÉ AS ROSAS TÊM ESPINHOS, MAS OS OTIMISTAS DIZEM QUE ATÉ OS ESPINHOS TEM ROSAS. MUITA FORÇA, FERNANDO. UM EXCELENTE 2019 CHEIO DE SUCESSO PARA O TEU PROJETO

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

domingo, 21 de outubro de 2018

Um espaço acolhedor Junto ás Bombas da Repsol em Sines

Um Prato Marquês
O resultado de uma recuperação bem sucedida, e onde se presta um bom serviço ao cliente
O PRAZER DE UMA BOA REFEIÇÃO Á SUA MESA
Adicionar legenda



domingo, 16 de setembro de 2018

Logos Hope

Este além de ser um navio Evangélico, pertencente à Operação Mobilização, cuja missão é levar transformar vidas e comunidades, poderá ser também considerado o navio das nações unidas, porque fazem parte da sua tripulação, cerca de 400 pessoas, de cerca de 40 países. Este Logos Hope é de facto o navio da esperança para milhões de seres humanos.

sábado, 15 de setembro de 2018

Viagem a Teen Street

Pelo 10º ano seguido, fiz um esforço para poder estar presente em Teen Street, mais do que uma viagem que para mim se torna cansativa, no final a recompensa, é sentir-me bem comigo próprio,
porque dou um pouco de mim a outros. Este ano com a particularidade de ter participado numa corrida (a andar cerca de 8 quilómetros), numa participação solidária com os refugiados na Grécia e Macedónia, em que o patrocínio de um jovem holandês, permitiu a minha participação. A menor acção é melhor do que a intenção, e se fiz pouco atendendo às circunstâncias físicas, muitos poucos fazem muito e tenho a certeza que serei certamente um encorajamento para muitos. Obrigado Deus pela força que me dás     

Publicação do Público


sábado, 8 de setembro de 2018

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Rag Ran na Alemanha 2018

Faz mais quem quer do que quem pode, e se oito quilómetros é pouco para quem tem uma boa condição física, para quem tem uma limitação física, e não consegue correr mas anda, o objectivo solidário da minha participação é uma grande motivação 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Amigo Feliciano da Silva


Homenagem a um Senhor e grande Amigo

São Domingos de Benfica, é uma zona de Lisboa onde na rua Carlos Pereira, perto da linha do comboio, se situava um pequeno armazém de brinquedos, cujo proprietário, numa manhã de trabalho que decorria com normalidade, reparou numa criança que passava, e que terá despertado a sua atenção, pelas vestes que trazia, pelo seu semblante no qual se notava um olhar triste, característico de uma vida cheia de carência afectiva e dos mais elementares bens essenciais, tais como vestuário e asseio.
Residente do outro lado da linha do comboio, a umas dezenas de metros do armazém, aquela criança criada sem berço, procurava fora do ambiente familiar, o convívio com quem passava, e num rasgo solidário, Feliciano da Silva, natural de Travanca de Lagos, um concelho de Oliveira do Hospital, incumbiu uma sua funcionária de acompanhar aquela criança, a uma loja de vestuário, e oferecer roupa nas devidas condições, e com a clara intenção de fazer com que o mesmo se sentisse mais confortável, e olhado como um ser humano, situação que não terá sido vista com bons olhos pelo seu progenitor, talvez por sentir que eram outros a fazer o que lhe competia.
O Sr. Feliciano da Silva, foi uma das pessoas que intervieram na débil situação de uma criança, quando a sua condição física de jovem adolescente, como consequência de dois graves atropelamentos, um ambiente familiar nada acolhedor, bem como a dificuldade em arranjar trabalho, o faziam pegar numa caixa de engraxar sapatos, colocando-se junto aos cafés da área, procurando com esta actividade ganhar algum dinheiro para fazer face ás suas necessidades.
O Sr. Feliciano da Silva, mais uma vez apercebendo-se das fragilidades daquele ser humano, instruiu os responsáveis de uma pastelaria, para que todas as manhãs, o Américo pudesse tomar o seu pequeno-almoço, em que aquele amigo se responsabilizava pelo pagamento. 
No meu percurso, que envolve um atropelamento por um comboio quando ainda tinha quatro anos de idade, um ambiente familiar nada propício ao crescimento saudável de uma criança, e as enormes dificuldades de aprendizagem na escola, as quais são o resultado dos traumas de infância, a existência de pessoas, gestos e palavras, fazem toda a diferença no rumo das nossas vidas, por isso jamais esquecerei aqueles que foram os pilares da minha educação, contribuindo para que face às circunstâncias, eu viesse a trilhar caminhos pouco dignos.

                                  Muito obrigado Amigo e Senhor Feliciano da Silva
                                       


quinta-feira, 3 de maio de 2018

Um livro a Consultar para Aprender- Das Edições Revista de Marinha

Concluí que o chefe, relativamente às pessoas com quem tem de lidar, deve ter uma profunda preocupação em usar de bom senso e de tacto, o que exige, entre outros requisitos, a capacidade de avaliar com alguma segurança a personalidade dos indivíduos, porque aqueles com quem se relaciona, não são máquinas, são pessoas com sensibilidade,amor-próprio e direito à dignidade humana. 

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Excerto do Livro, É No Peito a Chuva

Novo na viagem, o viajante não sabe do que quer viver - se do concreto ou do abstracto, se do absoluto ou do relativo. Por próprias forças deverá desbravar esse caminho, sendo de antemão certo que em tempo nenhum ousará inconsequentes actividades, onde não consta partida e é difusa a chegada- assim deseja manter-se longe da arte.

Este livro encontra-se à venda na Livraria A DAS ARTES EM SINES
Na rua 25 de Abril, 8 loja C
Venha visitar este espaço acolhedor

sexta-feira, 23 de março de 2018

Liderar e comandar no Mar

Liderar é um desafio para qualquer ser humano, mas nem todos os seres humanos sentem essa vocação de liderança, se tivermos em conta a especificidade de cada área em que é preciso liderar, bem como da capacidade de cada um.
No que diz respeito às actividades marítimas, comandar no mar é uma tarefa que envolve não apenas um comandante, mas também daqueles que estão sobre o seu comando, que no seu conjunto, e em articulação entre todos fazem com que o navio chegue a bom porto.
No percurso marítimo de cada homem do mar, acontecem episódios e histórias que quando vividos e partilhados, são um enriquecimento para todos, sendo também em muitos casos, motivo de aprendizagem.
As experiências, os desafios, os obstáculos e até as eventuais aventuras vividas em missões ou simplesmente em viagens, estão descritas no interessante livro, Comandar no Mar, editado pelas edições Revista de Marinha, e apresentado no auditório da Administração dos Portos de Sines e do Algarve, no dia 22 de Março pelas 17.00, com um excelente painel de oradores ligados ao mundo marítimo e cuja experiência é certamente um marco histórico nas suas vidas.

Assistência Abrangente