terça-feira, 29 de setembro de 2015

PORTUGAL A FRENTE

Portugal á Frente


A pobreza de espirito, a ganância pelo poder, os olhos vendados de muitos cidadãos e a necessidade de garantir lugar para os amigos, sem que estes tenham de facto o objectivo de servir o país, tem feito com que ao longo de muitos anos Portugal andasse para trás.
Depois de termos passado uma fase complicada em que corremos o risco de um país quase insolvente, é bom que tenhamos a noção de que 2011, foi o ano decisivo para se começar a mudar a imagem de Portugal, e de começarmos a pensar que os recursos não são inesgotáveis, e a aposta em megalomanias, teve um preço demasiado alto na vida de todos nós.
Devemos olhar os erros do passado para tornarmos as decisões certas no presente para continuarmos a construir um melhor futuro com Portugal á Frente.


                                                                                                Américo Lourenço 

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

IMAGEM REALISTA

A Imagem Realista

A multiplicidade de opiniões, as mensagens pouco transparentes e enganadoras de quem tem aspirações de chegar ao poder, as propostas irrealistas, apresentadas por discursos floreados com palavras bonitas para tentar a caça aos votos em período eleitoral, servem apenas para dividir os portugueses numa altura crucial da sociedade portuguesa, quando em face de uma emergência nacional, o país se uniu com o objectivo de ultrapassarmos uma fase complicada.
Não seria sensato que depois de termos iniciado um caminho que de forma gradual tem vindo a mudar a imagem do país, aqueles que advogam que tudo está mal, e lutam com discursos balofos por uma mudança, venham a ter a possibilidade de assumirem a governação de um país, quando contribuíram para que este se tornasse num país desgovernado.
As desigualdades sociais são o resultado de um país que ao longo de muitos anos possibilitou a que muitos cidadãos adquirissem direitos, sem que tivessem cumprido os seus deveres, o que tem contribuído para que este seja um país onde alguns têm tudo, e outros pouco ou nada têm.
É sabido por todos que não é possível fazerem-se omeletes sem ovos sendo por isso um enorme contra censo fazerem-se promessas que depois não podem ser cumpridas.


                                                                                                  Américo Lourenço  

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Falsas Promessas

Não acredito numa única palavra de António Costa, candidato do PS a primeiro Ministro de Portugal porque é impossível fazerem-se omeletes sem ovos e as promessas não podem ser cumpridas apenas só porque se proferem palavras bonitas

A Minha Observação