sexta-feira, 30 de setembro de 2011

SOPRO DE NOVOS VENTOS

Alguém disse que todo o sonho é por si só um pouco de realidade, porque o sonho nasceu do nada e é o resultado de um milagre mental

Desde muito pequeno que alimentei a esperança de qualquer criança, que é a realização dos seus sonhos, sendo que alguns deles eram ser jornalista, locutor de radio, cantor ou escritor.

Dados os contratempos que foram surgindo ao longo da minha infância, adolescência e juventude, cedo me apercebi que qualquer destes sonhos não estariam facilmente ao meu alcance.

No ano 1972 aqueles que na escola seguiam o meu percurso de aprendizagem, aperceberam-se das dificuldades que eu tinha, em virtude dos traumas que eu tinha devido ao acidente de comboio e aos maus tratos. Nesse ano, a 9 de Outubro, fui internado numa instituição para observação e tratamento por forma a que quando voltasse á escola pudesse mais facilmente assimilar tudo o que me era ensinado. De forma gradual fui evoluindo, e em 1978 quando já tinha 14 anos completei o ensino basico.

A diferença entre uma pessoa vulgar e uma pessoa importante, é que a pessoa importante é uma pessoa vulgar que não desistiu.

A ausência de condições adequadas para continuar a estudar, não foram motivo para cruzar os braços, por isso muitos têm sido os conhecimentos que tenho adquirido na escola da vida.

Muitos dos acontecimentos que tinham lugar, faziam com que eu estivesse atento e com que quisesse escrever para a imprensa, a minha opinião e reflexão sobre os mesmos

Assim, como adquiri pela escrita, um amigo meu ao ler um artigo que escrevi, em jeito de incentivo, aconselhou-me a prosseguir os meus estudos, pelo que aos 41 anos dei inicio a mais um processo de aprendizagem, tendo concluido de forma satisfatória o 9ºano, tendo mais tarde noutro processo, concluido também o 12º

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

inicio de uma encruzilhada

A 29 de Junho de 1963, nascia em Lisboa um ser a quem foi dado o nome de Américo Manuel da Silva Lourenço, que quatro anos após o seu nascimento, mercê de um ambiente que não era acolhedor, foi atropelado por um comboio, tendo ficado 15 dias em coma.

Com a idade de seis anos, ao atravessar a estrada de uma movimentada rua na zona onde vivia, esta criança cujo abandono pelos seus progenitores era notório, era novamente sacudida pelo embate de um veiculo que lhe fracturou uma clavicula.

Não fui criança porque fui maltratado e cedo comecei a trabalhar, mas sou alguém cuja vida tem sido recheada de acontecimentos que têm marcado a minha existência, e ao mesmo tempo, tem sido a chave para a minha aprendizagem na escola da vida, e teve influência para que as coisas boas tenham vido a acontecer fora de tempo e demasiado tarde.

Aos 19 anos tentei procurar um rumo diferente para a minha vida, tendo saido do tugurio familiar para seguir para o norte do país, mas no dia 12 de Maio de 1983, pelas 08.47, fui projectado por um carro para debaixo de um camião, tendo rebolado 4 metros debaixo do mesmo

Qualquer criança que não viva um ambiente familiar saudável, tornar-se-á inevitavelmente um revoltado cujas consequenciias são muitas vezes a marginalidade e a miséria humana.

A familia ou falta dela, o comboio, uma forguneta, uma carro e um camião, foram os intervenientes que contribuiram para ajudar a mudar o curso de uma vida na qual os sonhos ficaram por realizar.

Desde muito pequeno que fui observando aqueles que me rodeavam, e fui aprendendo a tirar partido do que é mais saudável. Assim, ouvir musica, escrever, ler, passear, viajar, observar a natureza, conversar sobre assuntos vários, praticar a solidariedade e o são convivio, foram os passatempos que escolhi para o percurso da minha vida.

A saga continua quando no exercicio das minhas funções, dei uma queda de 3 metros de altura que me levou a mais um internamento. No ano seguinte, em 1991, mais uma intervenção cirurgica falhada, e por consequência da mesma, mais uma fractura numas das pernas.

Como se não bastasse, 11 anos depois, as supeitas de um cancro numa das pernas que tinha sido fracturada, confirmaram-se através de exames clinicos, aos quais se seguiram duas intervenções cirurgicas, e mais uma vez o meu combate se impunha contra mais esta pedra no caminho.

Com um espirito positivo, a ajuda da equipa medica e de enfermagem e o apoio de alguns amigos, consegui ultrapassar mais esta dificil fase, para a qual se impunha uma luta sem treguas.

Enquanto estava deitado na cama de uma das muitas unidades de saude por onde passei, a visita de um amigo foi o estimulo através do qual surgiu a ideia de escrever um livro.

Entardecer, além de ser uma alusão ás coisas boas que demasiado tarde têm vindo a acontecer na minha vida, é também a história veridica da mesma, com a qual gostaria de encorajar e dar força a outros, mas também a forma de homenagear e agradecer a todos aqueles que me ajudaram a ser um vencedor, evitando assim que as curvas da minha infância e juventude, viessem a desembocar em caminhos que jamais me ajudariam a vencer

sábado, 17 de setembro de 2011

Navios e cargas

Em 2004, ano de inicio de actividade do Terminal de contentores em Sines, este recebeu 55 navios de contentores.
Em 2010 este recente Terminal movimentou 382.089 teus
No mes de Julho de 2011 o Terminal de contentores do Porto de Sines recebeu 57 navios
Em agosto do mesmo ano o Terminal de contentores da PSA bateu um novo recorde em movimentação de 46.442 Teus
O comparação de todos estes numeros evidência bem as potencialidades do Porto de Sines e não obstante os constrangimentos nas ligações ferroviárias, o Porto continua a crescer

terça-feira, 6 de setembro de 2011

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Intercambio cultural

300 pessoas de mais de 35 paises diferentes dos 5 continentes, compunham a tripulação deste navio. A aprendizagem, o convivio, a cultura a partilha nas suas vertentes, espiritual, e moral e intelectual enriqueciam a sua tripulação