quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Extensão da plataforma continental

Transporte de Animais

Carga Geral
Carvoeiro
Gás Natural
Porta Contentores
Petroleiro
PORTO DE SINES
A extensão da plataforma continental pode ser uma enorme conquista para Portugal, mas importa também dotar o país de uma frota de navios que nos ajudem a tirar partido deste enorme potencial marítimo de que dispomos e que vai para além das  200 milhas.
Não conseguimos criar riqueza que sustente a economia portuguesa, se depois esbanjamos a mesma no pagamento de fretes ao exterior, podendo nós dispor de uma frota de navios que podem minimizar a nossa dependência do exterior pelo que o nosso potencial tem de ser conjugado sob diversos factores com a rentabilidade, o custo e o benefício.
As diversas valências de um porto de águas profundas como o de Sines, quem tem capacidade para receber em simultâneo entre 14 e 15 navios das mais variadas cargas e dimensões, são apenas uma das muitas características marítimas de um Portugal que caminha para os 9 séculos de história, mas onde se afigura como urgente uma mudança de estratégia para que possamos usufruir deste imenso mar.
É apenas uma questão de prioridades, sabendo que o nosso mar é uma alavanca para a economia do país, onde é importante a definição de uma estratégia que faça a interligação entre o transporte marítimo e o terrestre, analisando os prós e os contras, podemos concluir que o alargamento da plataforma continental, as estruturas marítimas de que Portugal dispõe, em coordenação com o transporte terrestre, rapidamente se pode chegar à conclusão que será um beneficio que se estende no tempo, estando apenas dependente de decisões politicas que travam a concretização das prioridades do país.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Retrospectiva da Vida

O saber não ocupa lugar e todas as oportunidades são boas para aprender.  Depois de ter sido voluntário e tripulante de um navio em 1978 ...